Calvin Klein, fundador da marca que leva seu nome, cedeu uma entrevista para a CNN Talk onde fala sobre as novas campanhas da marca. Justin Bieber, novo garoto propaganda, não deixou de ser citado por Klein, que declarou achar brilhante e correta a participação do canadense com toda sua popularidade nas redes sociais na campanha da marca. Confira a matéria completa traduzida por nossa equipe a seguir:

Pode ter 13 anos desde que Calvin Klein deixou a casa da moda que ele fundou, mas a marca continua usando suas propagandas de cunho sexual.
Com uma diferença. Eles adicionaram uma hashtag.
Em 2014, a marca lançou a campanha #mycalvins. Contando com algumas das celebridades mais relevantes e influentes: o cantor canadense Justin Bieber, a modelo e estrela de reality show Kendall Jenner, o rapper Kendrick Lamar, e a estrela do hip hop Fetty Wap, citando alguns.
Eles foram instruídos a posta fotos deles mesmos usando Calvin Klein, com a legenda “Eu _____ em #minhascalvin.”
Uma coisa sugestiva normalmente completava a lacuna.
“Eu acho que esse negócio do Justin Bieber é brilhante,”Calvin Klein, 73, conta a CNN Talk Asia.
“Ele é certo. Perfeito para o momento. E Kendall Jenner segue essa linha.”
Celebridades sociais são essas com enorme influência em plataformas como Facebook, Vine e Instagram. Bieber, por exemplo, tem 64,8 milhões de seguidores no Instagam, enquanto a conta oficial da Calvin Klein tem 4,3 milhões.
Conforme essas influencias começaram a postar fotos atrevidas deles mesmos em Calvins, o público começou a copiar.
Hoje, a hashtag#mycalvin foi usada 362.000 vezes, com a campanha premiada elogiada como um dos usos mais bem-sucedidos das redes sociais em propaganda.
“Foi claro em nosso novo mundo que todos queriam que todas as pessoas vissem o que as celebridades estavam fazendo em suas roupas íntimas,” disse Courtney Blackman, fundador e diretor-geral da agencia Forward PR.
Se Brooke Shields pudesse ter estourado na internet em 1981, com a propaganda sugestiva da Calvin Klein que ela estrelou naquele ano, ela teria feito.
A jovem com então 15 anos foi filmada se contorcendo no chão com seus jeans da Calvin Klein, antes de dizer para câmera, “Você sabe o que tem entre mim e minhas Calvins? Nada.”
A frase #minhascalvin (#mycalvin) foi criada.
“Os pais ficaram irritados”, diz Klein, “Mas as pessoas que nós estávamos tentando alcançar – jovens – eles ficaram entusiasmados por terem algo que irritasse seus pais.”
Propagandas controversas viraram maca registrada para a Calvin Klein.
Depois que Shields fez uma campanha agora clássica em preto e branco, filmada pelo fotografo francês Patrick Demarchelier, junto com Mark Wahlberg – mais conhecido como “o corpo” – e Kate Moss, com então 17 anos, fazendo topless.
“Eu criei minhas próprias propagandas. Eu escolhi o fotografo. Eu escolhi os modelos,” disse Klein.
Hoje em dia, a marca Calvin Klein parece ter fechado um círculo – a hashtag #mycalvins sendo uma referência para o passado com Shields.
O que o homem Calvin Klein – que ainda tem interesses financeiros na companhia – acha disso tudo?
“Eu acho que eles estão fazendo um bom trabalho alcançando o mercado que eles querem,” diz ele.
“(Se redes sociais existissem há 13 anos atrás) Eu teria usado isso ao meu favor… e criado imagens que as pessoas – que as fariam ficar de boca aberta.”

Tweet about this on TwitterShare on Facebook0